Museu Egas Moniz

Museu Egas Moniz da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) foi constituído em 1957, um dos núcleos museológicos da Universidade de Lisboa que subsiste até aos dias de hoje. Constituindo-se um espaço dedicado à memória do Professor Egas Moniz, onde se destaca a obra e percurso científico do Prémio Nobel da Medicina e Fisiologia (1949).

Na tutela do Centro de Estudos Egas Moniz (CEEM) da FMUL, incorpora um pequeno núcleo de coleções, objetos e obras de arte do Nobel da Medicina e Fisiologia, numa narrativa para a construção da memória do seu percurso e investigação científica desenvolvida.

Nota Histórica e Descritiva

O núcleo expositivo do ‘Museu Egas Moniz’ é constituído em 1957, com a organização do CEEM, no recém-inaugurado Hospital Escolar de Santa Maria. O CEEM, criado em 1950, e presidido pelo Professor Egas Moniz, funcionou inicialmente em espaço anexo ao Hospital Júlio de Matos.

O Museu Egas Moniz, um sector integrado no CEEM, é concebido com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian e, com o intuito de documentar a vida e a obra científica do Prémio Nobel da Medicina e Fisiologia (1949).

O núcleo expositivo, atualmente na alçada da Clínica Universitária de Neurologia da Faculdade de Medicina, mantém até aos dias de hoje, a sua museografia e cenografia originais, de forte carácter visual e documental, onde se encontram expostos cerca de quatrocentos objetos de diferente tipologia. O acervo é composto por um extenso material documental, por manuscritos diversos, bibliografia científica e literária, álbuns de fotografias e livros da e clínica, diplomas de títulos académicos, condecorações e o fac-símile do Documento de Atribuição do Prémio Nobel da Medicina, cujo original se encontra exposto na Casa Museu Egas Moniz, em Avanca, Estarreja.

Do ponto de vista cénico, tem lugar de destaque a reconstituição física do seu gabinete de consulta no Hospital de Santa Marta; do ponto de vista dos instrumentos histórico-científicos, os utensílios desenvolvidos e utilizados nas primeiras angiografias e leucotomias, a seringa de Egas Moniz, a pinça de Martins (Dr. António Martins) e o leucótomo. Um vasto núcleo visual é dedicado à descoberta e processo de desenvolvimento do método da Angiografia (1927), com o recurso ao retrato sequencial de imagens radiográficas de diferentes patologias.

O Museu encontra-se acessível ao público em geral, com marcação prévia.

Conheça mais sobre o Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa aqui.

Marcações de visita
Isabel Pereira Santos
Ext. 44207
Email ipereira@medicina.ulisboa.pt

Equipa

Coordenação
Prof. Doutor Vítor Oliveira
Clínica Universitária de Neurologia – FMUL

Marcações de visita
Isabel Pereira Santos
Ext. 44207

Morada

Clínica Universitária de Neurologia – FMUL
Hospital de Santa Maria, Piso 6, Elevador 1